Terapia da Fala

Será que o meu filho está preparado para aprender a ler e a escrever?

De certo que já se deu conta que estamos a chegar àquela altura do ano dos inícios e reinícios, certo? O mês de Setembro que está à porta é por “lei” aquele mês em que voltamos às rotinas ou que iniciamos rotinas novas, principalmente para quem tem filhos sendo também por consequência o mês de algumas ansiedades e dúvidas.

No que diz respeito à aquisição de novas competências como a aprendizagem da leitura e escrita, não é exceção!

Para as crianças a transição do pré-escolar (ou jardim-de-infância) para o 1º ano do 1º ciclo traz imensas mudanças na rotina sendo esta uma etapa desafiante mas muito significativa nas suas vidas. E tendo em conta todas as novas aprendizagens que vão realizar, a da leitura e escrita é por norma um dos grandes desafios que se avizinha.

Por isso, se está nesta fase, aconselho a continuar a ler este artigo para que possa ficar a par de algumas informações que o poderão ajudar a perceber ainda melhor o seu filho.

Para ler e escrever, estará preparado para aprender?

Antes de mais é importante esclarecer o que é cada uma destas áreas. De forma muito sucinta:

  • Ler: ação complexa utilizada para a descodificação dos grafemas que permite o reconhecimento de palavras para posterior compreensão das mesmas (em palavras, frases ou texto)
  • Escrever: ação que permite codificar os sons da linguagem oral em grafemas (símbolos escritos).

Os pré-requisitos para a aprendizagem destas competências são essenciais neste processo. Contudo, estes já devem estar adquiridos nesta fase (entrada para a escola), através dos estímulos que vai recebendo diariamente e que recebeu na idade pré-escolar (fase essencial de estimulação).

E quais são esses pré-requisitos?
  • Motivação (incentivar à leitura desde cedo ajuda muito);
  • Desenvolvimento da linguagem (expressão e compreensão) adequado;
  • Consciência fonológica;
  • Memória visual e auditiva;
  • Atenção e concentração;
  • Coordenação oculomotora;
  • Noção temporal e espacial;
  • Lateralidade definida;
  • Noção corporal;

Para saber…

A consciência fonológica define-se como a noção (tomada de consciência) de que a língua que falamos pode ser fragmentada em palavras, as palavras em sílabas e as sílabas em fonemas e pela capacidade de os manipular. 

Quais os sinais (ainda antes da entrada no 1º ano) a que devo estar atento para procurar ajuda especializada?

Existem vários sinais a que deve estar atento, tais como:

  • Atraso ou dificuldades na aquisição da linguagem oral;
  • Alterações na produção dos sons da fala (tal como falar “à bebé”, omitir, trocar ou distorcer sons);
  • Dificuldade para aprender vários conceitos como cores, nomes de objetos, de pessoas;
  • Dificuldade na evocação de palavras;
  • Dificuldades de memória auditiva e de recontar histórias ou acontecimentos;
  • Dificuldades de consciência fonológica.

Em suma, aquando a chegada da entrada no 1º ano é essencial que o desenvolvimento da criança, nomeadamente ao nível da linguagem seja adequado para um maior sucesso e menor interferência na aprendizagem destas competências. Se apresentar alguma dúvida ou se o seu filho apresenta dificuldades nalguma das áreas acima descritas, não hesite e marque uma consulta em Terapia da Fala para despiste de possíveis alterações de linguagem que possam implicar de forma negativa a aprendizagem da leitura e escrita!

Recomendação de leitura adicional:

DISLEXIA E DISORTOGRAFIA: VAMOS DESMISTIFICAR?

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.