Terapia da Fala

Será que a tecnologia pode estimular positivamente o desenvolvimento da linguagem?

Nos últimos anos a comunidade científica tem vindo a estudar bastante esta questão. E, os resultados que nos apresentam é que efetivamente as crianças podem aprender e assimilar conceitos através da visualização de conteúdos na televisão (como músicas, cores, números, letras…) desde que tenham alguma componente educativa, no entanto, é através da interação com os pares e/ou adultos que a maior parte da aprendizagem acontece.

Na era digital em que vivemos, torna-se inevitável que as nossas crianças tenham acesso permanente a tecnologias sejam elas o tablet, o telemóvel ou a televisão. Em época de pandemia e confinamento, ainda mais! Mas, será que podemos retirar algum benefício destas no que diz respeito ao desenvolvimento cognitivo e linguístico?

A resposta a esta pergunta é “NIM”. Depende de vários fatores. Vamos pensar: se um bebé é colocado em frente a um ecrã, sozinho, durante um período de tempo indeterminado, provavelmente ele irá captar a música ou os bonecos em questão. No entanto se fica a ver TV ou a brincar com o tablet mas com presença de um adulto que vá intervindo e vá criando momentos de estimulação, em que vai conversando com a criança sobre o que está a acontecer ou a fazer perguntas de um determinado tema, então aí podemos dizer que poderá ter um benefício maior. O mesmo se passa com os jogos eletrónicos. Ou seja, têm a sua componente lúdica e educativa mas “eliminam” a socialização com os outros e estão numa aprendizagem solitária.

Mas será só esse o benefício?

Não! Além de eventualmente puder melhorar a atenção visual e auditiva, a memória e raciocínio lógico através dos jogos, os pequenos mais crescidos aprendem também a compreender regras e respeitar a vez do outro.

No fundo, é necessário que os pais estejam atentos ao tempo/dia que os filhos passam em frente aos écrans e tirarem algum tempo também para escolherem bons jogos, bons conteúdos televisivos e interagirem com os seus pequenos. Se for tudo com conta, peso e medida a tecnologia poderá ajudar no desenvolvimento da fala e linguagem pela diversidade de estímulos que apresentam!

Ainda assim, não esquecer que cada faixa etária terá um limite máximo de exposição por dia aos dispositivos eletrónicos e que, tempo a mais em frente aos mesmos poderá atrasar o desenvolvimento da criança em todos os níveis.

Dica da TF

Aqui neste tema ganha sempre o bom senso. Por isso em jeito de conclusão deixo-vos algumas dicas que podem colocar em prática simultaneamente com a utilização dos dispositivos eletrónicos:

1. Não deixe a criança sozinha demasiado tempo e vá interagindo com ela, conversando!
2. Se a criança fizer perguntas sobre o que está a ver ou a acontecer, responda sempre! Ela poderá estar a precisar da sua ajuda para compreender algum conceito.
3. Aponte e vá dizendo o nome das coisas que a criança está a ver, aproveitando assim para aumentar o vocabulário.
4. Relacione os conceitos dos “écrans” com as coisas da vida real, como por exemplo: viste aquelas frutas na televisão? Vamos ver que frutas temos em casa!”
5. Criem histórias a partir do que viram! A criança vai adorar encarnar o papel das personagens favoritas e ver que os pais também entram na brincadeira. Podem ainda construir novas histórias a partir da principal e assim a estimulação da linguagem será ainda maior!

Numa época tão difícil como a que estamos a passar, em que estamos todos cansados por variadíssimos motivos, não deixem de parte as conversas, as atividades da vida diária, os jogos de tabuleiro, as atividades ao ar livre (dentro do possível) porque esta é a melhor estimulação e atenção que lhes podem dar.

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.