Terapia da Fala

Onde está a tua língua?

Comecemos com uma pequena reflexão a esta pergunta: Sabia que a língua é o órgão fonoarticulatório que mais impacto provoca nas funções do sistema estomatognático (respiração, fala, sucção, mastigação e deglutição), e por isso o seu posicionamento correto é de extrema importância?

De certo que nunca pensaram nisto. Até porque, como resposta à pergunta “Onde está a tua língua?”, toda a gente dirá: “dentro da boca”. Normal que assim seja. No entanto a língua tem uma posição correta para estar dentro da cavidade oral e se não estiver bem posicionada poderá levar a inúmeras alterações!

Vamos então compreender qual o seu papel e a importância do seu correto posicionamento?

Primeiro, para que a língua se posicione corretamente (e isto é transversal a crianças e adultos) é preciso que os lábios estejam encerrados para permitir uma boa respiração nasal (e temos aqui uma palavra-chave)!

Para percebermos se está adequadamente posicionada, ela deve estar colocada no palato (ou céu da boca) e logo atrás dos dentes incisivos mas sem sentir a empurrá-los. Já o dorso da língua deve estar curvada na parte mais alta do palato.

E quando esta respiração é predominantemente oral, o que é que acontece que à língua?

O posicionamento incorreto da língua, uma musculatura mais hipotónica e uma deglutição atípica por interposição lingual irá alterar o crescimento craniofacial. Assim, se a língua estiver no sítio errado dentro da boca, estará mais baixa – como referi anteriormente – deixando a boca aberta ou semiaberta levando a uma alteração do modo respiratório. Este tipo de situação afeta uma grande percentagem de crianças devido a várias questões como:

  • Obstrução nasal (como por exemplo hipertrofia de adenóides);
  • Hipertrofia das amígdalas;
  • Hábitos nocivos orais;
  • Alergias;
  • Fatores genéticos, entre outros.

E quais as consequências deste tipo de respiração?

São inúmeras as consequências provenientes deste tipo de respiração, no entanto as mais comuns são:

  • Alteração no padrão do sono (sono irregular, mais inquieto/agitado) com consequências negativas na concentração e aprendizagem;
  • Enurese noturna;
  • Presença de olheiras;
  • Pela dificuldade em encerrar a boca os lábios ficam mais secos com maior necessidade de hidratação;
  • Palato estreito e ogival;
  • Face mais alongada;
  • Alterações na oclusão dentária com necessidade de tratamento ortodôntico;
  • Alterações na mastigação e na deglutição (normalmente por interposição lingual);
  • Distorções de determinados sons da fala

Resumindo…

A língua tem um papel essencial no que diz respeito a todo o desenvolvimento harmonioso das estruturas craniofaciais, podendo um mau posicionamento trazer inúmeros malefícios à nossa saúde.

Para perceber se a língua está no sítio certo, faça o seguinte: feche a boca e respire pelo nariz. A língua deve ficar naturalmente no lugar certo. Se não ficar, algo se deve estar a passar!

Para saber mais relativamente à respiração oral, leia o artigo:

O meu filho respira pela boca! Será normal?

Em caso de dúvida não hesite em contactar o seu Terapeuta da Fala!

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *