Terapia da Fala

O Papel da Família na Terapia da Fala

Porque é tão importante estarmos sintonizados?

Sendo hoje o Dia Internacional da Família, não poderia deixar de vos falar acerca do papel importantíssimo que esta tem na base da nossa vida. E, na Terapia da Fala não poderia ser exceção. Aliás, como em todas as terapias, a família deverá ter sempre um papel inclusivo para estarmos todos alinhados e atingirmos os melhores resultados possíveis.

Quando uma criança nos chega pela primeira vez à consulta, normalmente vem acompanhada por um familiar seja ele a mãe, o pai, os avós… E nós, terapeutas fazemos quase que um “interrogatório” (a anamnese) sobre tudo (ou quase tudo) acerca a criança e sobre a sua família de referência. É aqui que se dá a primeira ligação entre pais/cuidadores – criança – terapeuta.

Após a 1ª consulta, passamos pela fase da avaliação e posteriormente da intervenção, se assim for necessário. E é nesta última fase que a família é tão mas tão imprescindível!

E porquê?

Normalmente a criança realiza sessões de terapia da fala com uma frequência que pode variar entre 1, 2 ou 3 vezes por semana. Cada sessão tem cerca de 30 a 45 minutos o que dá um total de cerca de 90 minutos por semana de intervenção terapêutica. Então se os pais não mantiverem em casa os exercícios que vão sendo propostos pelo terapeuta e não estimularem a criança a que os faça, quanto tempo irá durar a terapia? Certamente mais do dobro do que seria expectável. E acreditem, os pais são sempre os mais ansiosos para que a terapia acabe (falaremos sobre isto num outro artigo).

Tendo em conta que a criança passa mais tempo em casa ou na escola do que na terapia, torna-se extremamente importante que haja uma espécie de parceria entre os pais/cuidadores para que os objetivos sejam mais rapidamente atingidos. Atenção! A família não deve ser vista como uma ajudante no processo mas sim parte integrante do mesmo. É nela que está toda a base da criança e é nesse envolvimento que se torna essencial a orientação para as atividades que o terapeuta propõem nunca esquecendo de valorizar todas as conquistas!

E de que forma os pais podem ajudar diretamente o terapeuta?

Com todo o feedback que lhe puder dar. Assim vai ajudar o terapeuta a definir melhor os próximos objetivos e a perceber o que funciona melhor com aquela criança em específico.

Mas Terapeuta, não tenho muito tempo útil para ajudar os meus filhos…

Sabemos que atualmente os pais não possuem o tempo desejável para ajudar os filhos em todas as suas tarefas. No entanto, como eu digo aos meus papás, tirem uns 10 bons minutos por dia para estimularem/brincarem de forma lúdica e direcionada os vossos pequenotes e vão ver a diferença!

Aproveitem as viagens de carro, as tarefas domésticas, as rotinas do banho e das refeições! Todos os ambientes são favoráveis para a estimulação.

E não se esqueçam…Sintonizem-se com o vosso terapeuta!

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.