Diário da Mãe

O Nosso Natal!

Adoro o Natal desde sempre. Apesar de sermos uns felizardos pois durante todo o ano temos a casa cheia de amor, comida, união, família…esta não deixa de ser uma época de introspeção e reflexão. Do ano que passou. Dos objetivos que queremos cumprir no novo ano que se avizinha. E este ano não poderia ter sido mais assim.

De certo que este foi um ano atípico. Há muitos que tiveram os familiares à mesa como gostariam. Tenho esse exemplo na minha família com uma avó num lar, a 300km de mim e que, faz anos precisamente no dia 24. Costumava passar o Natal com um dos seus filhos e desta vez, passou-o com quem não lhe é nada! Dói. Dói muito quando se pensa nisto. Mas infelizmente há pouco a fazer.

Bem, falando de coisas mais alegres, porque assim se quer esta época!

Cá em casa não temos imensas tradições mas temos algumas que vos passo a contar.

Começamos os preparativos no dia 23 à noite, com o amassar das filhós. A receita é a de sempre, a da minha estrelinha (avó). A minha mãe coloca os ingredientes e o meu pai amassa. Dia 24 de manhã começamos o dia a fritá-las e aqui, sou eu que as moldo e a minha mãe vira-as e põe o açúcar e a canela.

Depois começa a minha mãe a fazer os doces que faz sempre no Natal: Aletria, sonhos de cenoura e rabanadas!

Depois é a minha vez de fazer os sonhos de abóbora que ficam sempre uma delícia!

Entretanto, a seguir ao almoço vou sempre fazer as últimas voltas antes da ceia: ir comprar pão, ir buscar o bolo-rei (não pode faltar) e mais uma ou outra encomenda… o que tiver de ser.

E rapidamente chega a noite. A minha mãe novamente ataca na cozinha e faz as couves cozidas e batatas com caras de bacalhau para a ceia. Como eu não gosto de bacalhau cozido, faz sempre bacalhau com natas para mim (há anos que assim é e quem tem uma mãe assim tem tudo!

Enquanto o jantar fica a preparar, vou pondo a mesa como manda a tradição. Bonita e arranjada.

Já pela hora de jantar, chegam os meus sogros. Trazem o polvo cozido, da tradição deles e mais umas sobremesas.

Juntamo-nos todos e vamos para a mesa.

Normalmente a ceia de Natal e todas as festividades são passadas na minha casa e depois de jantar ficamos à mesa na conversa ou a jogar jogos até às meia-noite quando abrimos os presentes mas, este ano, foi na casa dos meus pais e foi tudo diferente. Tenho o meu avô com eles e foi o melhor para ele não se cansar! Cada vez gosta mais do cantinho dele e é compreensível! E, eram 22h viemos para nossa casa para o Henrique dormir e acabámos por nos deitarmos a essa hora também.

Abrimos os presentes dia 25 de manhã e foi uma alegria ver o Henrique a interagir com as prendas e a adorar cada embrulho!

Enquanto pais, só lhe oferecemos 2 miminhos como prenda. Queremos que dê valor a cada coisa que tem e não que as tenha por ter. É assim que o queremos ensinar. Mesmo nós cá em casa estamos cada vez menos consumistas. Mas bem, isto foi um à parte.

Importante importante é que estivemos todos juntos, bem de saúde, cheios de amor e acima de tudo muito felizes!

E desse lado, como foi ou costuma ser o vosso Natal?

Festas Felizes!

Partilhar

One Comment

  • Tania Godinho

    O meu dia é de muito trabalho e chego à hora e só penso na caminha
    Mas deixa me dizer uma coisa… Até que enfim alguém chama filhós à dita filhós e não me apresenta a foto de cuscorões.
    Boas festas

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.