Psicologia

O meu filho vai para o 1º ano: E agora?

A transição para o 1ºAno é sem dúvida um momento marcante na vida da criança e da família. Mais do que nunca, é nesta etapa que surgem todas as dúvidas, medos e receios relativos a esta nova fase de mudança.

As mudanças fazem parte da vida e manifestam-se em todas as suas dimensões. Muitas dessas mudanças conseguimos prever, outras são uma surpresa. O que se sabe é que, quanto melhor nos prepararmos, menor será o impacto das mesmas nas nossas vidas e melhor lidaremos com esta fase. É essencial ter em conta que cada mudança exerce o seu impacto no indivíduo.

De facto, são fases que exigem um maior esforço, disponibilidade e aceitação de uma nova dinâmica familiar, mas é preciso ter presente que a criança irá reconhecer a vantagem e o sentido desse esforço. Não menos importante, é um facto que quando os adultos conseguem ser bons modelos de resiliência e de tranquilidade face às dificuldades e insucessos, normais de um percurso de aprendizagem, o esforço, a preocupação e a dificuldade, deixam de estar no centro da escola e da vida. O foco irá estar direcionado para a felicidade da criança e para os seus objetivos/metas a alcançar.

Deixo algumas dicas fundamentais para esta fase de transição:

  • Explique de forma simples e clara, responda com sinceridade, visando eliminar eventuais medos da criança.
  • Seja o exemplo, seja uma boa referência de aprendizagem.
  • Tenha tempo, cuide com paciência, dê espaço à criança.
  • Dê também importância ao brincar (há tempo para tudo). Brincar é fundamental para a criatividade e imaginação da criança.
  • A despedida deve ser feita num tom calmo, sem choro da sua parte, com um afeto e um “Até Logo!”, mas nunca deixe de se despedir, mesmo que de forma descontraída e prática.
  • É essencial cumprir a pontualidade e assiduidade da criança na escola, o que irá proporcionar maior segurança e construir o seu sentimento de pertença e rotina na escola.
  • É importante explicar (atenção às explicações muito pormenorizadas que poderão gerar ansiedade) e esclarecer todas as questões do seu filho relativamente à nova escola e/ou aos desafios do 1ºAno, procurando sempre não criar demasiadas expectativas e fornecer informações das quais não tem a certeza.
  • Em casa, reserve um momento do dia para que a criança possa explicar o que fez na escola, que trabalhos desenvolveu, o que aprendeu, o que gostou e não gostou.
  • Tomar sempre o pequeno-almoço, de preferência em casa.
  • Ter em atenção aos problemas de visão (se aproxima muito os objetos dos olhos) e de audição (chamar e não responder ou andar muitas vezes distraído). Sendo importante agendar consulta de oftalmologista e de otorrinolaringologista antes da entrada no 1ºAno.
  • Proporcionar horas de sono suficientes (+/- 10h diárias).
  • Valorizar os momentos de brincadeira com os pais, contar histórias, passeios, entre outros.
  • Promover a autonomia, ou seja, deixar que faça as suas tarefas do dia-a-dia sozinho.
  • Acompanhar a realização dos trabalhos de casa e a organização dos cadernos das disciplinas.
  • Não responder de imediato às dúvidas, mas sim ajudar a pensar em alternativas de resposta e encontrar a que mais se adequa.
  • Evitar fazer comparações entre o(a) seu (sua) filho(a) e as outras crianças.
  • Permita que a criança cometa erros, pois o erro é uma fonte de aprendizagem. O erro permite repensar, procurar diferentes soluções e enfrentar o desafio, promovendo aprendizagens mais sólidas.

Algumas dicas fundamentais na preparação do estudo:

  • Ensine-o a ser responsável, fazendo-o cumprir as tarefas escolares.
  • Ajude-o a compreender que aprender é importante.
  • Incentive-o(a) a tirar as suas dúvidas  com o/a professor/a sempre que estas  surjam.
  • Estimule-o(a) a ser limpo e estruturado nos livros, cadernos e apontamentos.
  • Faculte-lhe um espaço próprio para o estudo, livre de distrações e barulhos, minimamente cómodo e organizado.
  • Promova momentos de leitura diários.
  • Procure ser tranquilizador, proporcionando um ambiente calmo e descontraído.
  • Tenha uma atitude positiva, fomentando, deste modo, situações de sucesso, reforçando a sua confiança e autoestima.
  • Seja firme e coerente nas tomadas de decisão.
  • Estabeleça diálogo com o/a professor/a da criança, esclarecendo as suas dúvidas e, mantenha-se em sintonia com o que este faça, apoiando-o nas suas atitudes, pois a coerência nas práticas educativas promove comportamentos adequados, motivação e organização.
  • Ter em atenção que as atividades extracurriculares, são úteis, mas em excesso irão contrariar os aspetos positivos.

Por último, deixo uma nota muito importante nesta nova fase que se avizinha – a importância das rotinas.

As rotinas continuam a ser muito importantes e transmitem segurança à criança, pelo que perante uma mudança grande, como a transição de ciclo, as rotinas devem ser conservadas (horário para refeições, para dormir, para acordar) e devem ser evitadas grandes mudanças nesta fase (de casa, de quarto, de cidade e/ou país).

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.