Terapia da Fala

Hábitos orais: será que podem prejudicar o meu filho?

Pois bem, antes de começar a responder a esta pergunta, gostaria de vos explicar o que é isto de “hábitos orais”.

Estes são repetições de acções que podem ser agradáveis, neste caso falaremos das crianças, e que devido à sua repetição frequente se podem tornar prejudiciais. Ora, por trazer essa sensação de prazer, torna-se difícil que sejam “deixados” o que poderá levar a alterações de estruturas orofaciais (lábios, língua, palato, dentes) implicando diretamente na função das mesmas como a fala, respiração, mastigação, sucção e a deglutição.

Quais são os hábitos mais frequentes que podem levar a estas alterações?

Os hábitos orais e principalmente a sucção não nutritiva (a que é realizada sem intenção de nutrir como as que referi na imagem acima), é de facto a mais relaxante para o bebé e, normalmente vai sendo largada com a idade. No entanto, se após os 2 anos mantiver uma relação de “proximidade” com a chucha, chuchar no dedo, na língua ou começar a roer as unhas de forma sistemática, a indicação é para ser avaliado para perceber de que forma está a afectar as estruturas e consequentemente o seu desenvolvimento.

E qual o papel do Terapeuta da Fala nesta área?

A Terapia da Fala atua numa área denominada por Motricidade Orofacial. E, aqui, conseguimos avaliar, diagnosticar e intervir em alterações provocadas nas funções do sistema estomatognático (fala, sucção, respiração, mastigação e deglutição) derivadas dos hábitos acima descritos. No entanto, muitas das vezes não trabalhamos sozinhos e, para um maior sucesso na intervenção, poderemos encaminhar para outras especialidades como o médico dentista, otorrinolaringologista ou outro profissional que acharmos necessário dependendo do caso, no sentido de atuarmos de forma multidisciplinar e de obtermos resultados mais satisfatórios!

Opinião…

Em relação à chucha que é a que levanta sempre mais preocupações em consulta, se eu sou contra? Não! De todo! A chucha de facto pode ser uma boa amiga. Mas, claro que nem sempre nem nunca. Não sou fundamentalista mas tudo com conta, peso e medida. E papás, vão estando atentos a possíveis alterações no padrão da respiração, da fala ou até mesmo da mastigação e sempre que necessário peçam avaliação para perceberem se está tudo bem!

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.