Terapia da Fala

Dificuldades de Aprendizagem nas crianças.6 Perguntas e Respostas sobre o que todos os pais devem saber!

Antes de mais, é importante definir o que são dificuldades de aprendizagem. De facto, são um conjunto de fatores relacionados com a forma do cérebro absorver, usar, armazenar e enviar informações que levam a estas dificuldades. Estas podem ser ao nível da leitura, escrita, fala, matemática e nunca devem ser confundidas com défices cognitivos, perturbação do espectro do autismo ou alguma doença!

Este é um quadro que acompanha a pessoa durante a sua vida, no entanto quanto mais precocemente for diagnosticado mais facilmente irão ser adotadas estratégias que permitam melhorar o seu desempenho.

Em Portugal estima-se que 5 a 10% das crianças em idade escolar apresentem dificuldades de aprendizagem. Calcula-se ainda que a percentagem é mais alta em rapazes.

Perguntas e Respostas

Como se identifica uma dificuldade de aprendizagem?

Costumo dizer que os radares são sempre os pais ou cuidadores da criança. Regra geral sabem sempre que algo não está a ser adquirido da forma que seria expectável quer seja por comparação com outras crianças quer por serem alterações demasiado percetíveis. No entanto, deixo aqui apenas alguns sinais de alerta tanto na idade pré-escolar como na idade escolar.

Idade Pré-escolar

  • Atraso no desenvolvimento da linguagem;
  • Dificuldades para aprender cores, números…
  • Dificuldades ao nível da consciência fonológica (por exemplo rimas, sílabas);
  • Dificuldades na articulação dos sons da fala (aos 3 anos o discurso da criança já deverá ser bastante perceptível);
  • Alterações motoras;
  • Dificuldades em manter a atenção principalmente entre os 3 e 5 anos.

Idade escolar

  • Dificuldades na aquisição da leitura e escrita;
  • Dificuldades na realização de cálculos matemáticos;
  • Alterações na produção dos sons da fala;
  • Dificuldades em compreender a informação que lhe é transmitida;
  • Dificuldade em reter informação (por exemplo, dar um recado à criança, ela compreender mas não reter);
  • Dificuldades em focar a atenção;

Que equipa de profissionais consultar?

É fundamental:

  • Avaliação especializada em Pediatria do Desenvolvimento, Neuropediatria e Pedopsiquiatria;
  • Avaliação em Terapia da Fala, Terapia Ocupacional, Psicomotricidade, Psicologia, entre outras avaliações que possam ser consideradas relevantes para cada caso em específico.

Qual o papel do Terapeuta da Fala nesta equipa?

O Terapeuta da Fala irá avaliar e intervir nas possíveis alterações ao nível da linguagem oral, fala e leitura e escrita. A intervenção irá ser baseada na aquisição de estratégias para colmatar as dificuldades acima descritas e no trabalho conjunto com a equipa multidisciplinar que acompanha a criança.

Que estratégias podem os pais /educadores/cuidadores utilizar para ajudar?

É importante salientar que, e mais uma vez digo, cada criança é uma criança e deverá ser sempre avaliado caso a caso. No entanto, esta é a pergunta que os pais fazem quase sempre na minha consulta e claro está, com toda a legitimidade: “Como posso ajudar o meu filho?”

Bem, as estratégias de apoio devem envolver sempre a família e toda a equipa que apoia a criança seja na escola ou a nível clínico. Deveremos estar todos a trabalhar na mesma direcção.

Algo que acho fundamental é que a criança não se sinta “inferior” aos outros amigos/colegas no meio de todas estas ajudas e, por isso, é importante não deixarmos que a sua autoestima fique debilitada para evitarmos outras patologias como a depressão e a ansiedade (mais comuns nestes casos do que se pensa).

Mamãs, papás, educadores e demais pessoas importantes na vida da criança: enalteçam sempre e elogiem o melhor que a vossa criança consegue fazer e não insistam nas tarefas mais difíceis de forma a frustrarem. Ao fazerem isto, já a estão a ajudar a ultrapassar certas barreiras como o medo de falhar. Procurem realizar atividades divertidas, lúdicas e que a criança goste e aproveitem essas mesmas atividades para estimularem as áreas mais comprometidas.

Qual o papel da escola nestes casos?

A escola deverá garantir, em conjunto com a equipa de profissionais que acompanham a criança, que esta está integrada e que as suas necessidades se encontram respeitadas. Deverá ainda ser realizado sempre que seja necessário, um plano de estudos adaptado às suas dificuldades.

Existe algum tratamento farmacológico?

Não. Não existe nenhuma medicação para estas dificuldades. No entanto, as terapias são essenciais e fundamentais para o sucesso do seu filho seja na atividade académica, social ou futuramente profissional.

Ficaram com alguma dúvida? Gostavam de esclarecer alguma questão? Então já sabem, não hesitem em contactar-me pois terei todo em gosto em ajudar!

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.