Fisioterapia materno-infantil

As aranhas – “aliadas ou inimigas”?

O tema que vos vou falar é bastante controverso e cria imensas dúvidas nos recém pais.

As aranhas – devemos ou não utilizar? Se a sua venda é permitida é porque o produto é seguro para as nossas crianças certo?

Na pesquisa de evidência para este artigo deparei-me com dados que me surpreenderam – as aranhas estão bastante associadas a acidentes e lesões (como queimaduras, quedas) podendo ocorrer entre 12% a 50% dos utilizadores. Surpreendente certo?

Apesar de haver poucos estudos que comprovem que as aranhas têm uma influência no atraso do desenvolvimento motor da criança este equipamento foi “banido” no Canadá e não é recomendado o seu uso pela Associação Americana de Pediatria.

Então, porque é que se continua a utilizar este equipamento?

A maioria das razões são:

– O bebé gosta de estar em pé e se deslocar sozinho

– Ajudará a andar mais rapidamente

– É seguro

– Independência do adulto para se deslocar

Abrindo um parêntesis. Usualmente, o andar é uma aquisição que a maioria dos pais quer que os seus filhotes adquiram rapidamente, de forma a “validar” que o seu filhote tem um desenvolvimento motor dito “normal” ou apropriado para a idade. A utilização de vários equipamentos como as aranhas, ou aqueles “saltadores” de forma a desenvolver o desenvolvimento motor do seu filho pode, pelo contrário, até prejudicá-lo.

A criança nos primeiros 2 anos de vida alcança um desenvolvimento motor e cognitivo brutal, devemos enquanto cuidadores (e aqui falando do desenvolvimento motor em particular) deixar o nosso bebé experimentar o movimento livremente não o “prendendo” a um equipamento. Até porque podemos estar a “forçar” uma aquisição para a qual a criança ainda não está preparada.

O brincar no chão permite à criança explorar o meio envolvente, experimentar movimento livre, se cansar e frustrar quando não o consegue realizar, mas tudo isto faz parte do crescimento e desenvolvimento normal da criança.

Voltando ao tema “aranhas”…. Então, porque não devemos utilizar (já dei algumas pistas…)?

– A criança não saberá distinguir o seu corpo no espaço – estando numa aranha que tem delimitações sempre que embate num objeto a aranha pára e a criança não percebe o porquê.

– Não tem noção do perigo, e assim poderá ocorrer acidentes como quedas de escadas (este ponto está interligado com o primeiro).

– Saltar etapas do desenvolvimento – deverá se dar tempo para a criança explorar o seu corpo, o seu corpo no espaço e meio envolvente e o movimento de forma livre.

Bem sei que nesta época de redes sociais em que somos bombardeados com inúmera informação de todo o lado, e na maioria das vezes nada fidedigna, os pais têm, por vezes, uma pressão enorme para que a criança cumpra as etapas do desenvolvimento o mais cedo possível. Quantos de nós não ouviu a famosa frase “O meu filho tem 6 meses, mas é super precoce, já praticamente se mete em pé e anda.”?

Por vezes, é preciso esperar e dar tempo à criança. As etapas de desenvolvimento não são completamente rígidas, são meramente uma média. Claro que que se uma criança com 1 ano de idade não se senta de forma independente ou não se desloca é sinal para ser avaliada pelo pediatra e posteriormente por uma fisioterapeuta pediátrico.

Agora, colocar um bebé com 7/9 meses de idade numa aranha para ir treinando o andar não é prudente, é privar a criança de experienciar outro tipo de movimento e aquisições que irão ser fundamentais depois para a aquisição da marcha.

Em jeito de conclusão, brinque com o seu bebé no chão, deixe-o movimentar livremente, permita que o bebé experiencie todo o tipo de movimento e assim perceba a relação do seu corpo no espaço e meio envolvente.

O seu bebé vai adorar e acredite que você também!!

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.